À L’école de la vie – Grand Corps Malade

Você também gosta de música? Músicas nos divertem, nos relaxam, nos motivam, nos ensinam…

E é justamente essa é a ideia dos posts “Aprendendo francês com músicas”!

Para você que esta chegando aqui pela primeira vez, nessa seção de posts, a ideia é que você acompanhe a letra da música com a transcrição da letra em francês e com a tradução da letra em português. Ouvir e ler o francês é uma ferramenta de muita importância para o seu aprendizado e com a música você vai aprender naturalmente! Quem nunca ouviu uma música e logo em seguida a guardou na cabeça??? Por isso músicas são tão boas para nosso aprendizado com línguas. Nós nos divertimos e aprendemos facilmente!

A música de hoje é na verdade uma poesia “À À l’école de la vie” de Grand Corps Malade! E tem uma história por trás!Grand Corps Malade, cujo verdadeiro nome é Fabien Marsaud, nasceu em 31 de julho de 1977, na cidade de  Blanc-Mesnil, em Seine-Saint-Denis. Ele é um slameur (poeta) francês. Ele sofreu um acidente em 1977 ao mergulhar em uma piscina, e quase ficou paralítico, mas recuperou o movimento de suas pernas depois de um ano de tratamento. E acabou se tornando uma referência. Dada a sua altura de 1,94m,  ele se nomeou Grand Corps Malade em 2003. E assim ficou conhecido na sua carreira de poeta.

Espero que você goste, assim como eu! Depois me diga o que achou! Como o vídeo já tem a transcrição em francês, hoje trago aqui embaixo somente a tradução, ok? Tem muita expressão, vocabulário…é bem rico de conteúdo para você praticar e aprender o francês.

PS: Se você quiser mais detalhes de como aprender francês com áudios, vídeos e músicas, baixe meu livro digital que está aqui do lado direito da página que eu lhe ensino o passo-a-passo de como fazer, ok?

Grand Corps Malade – À l’école de la vie    (Na escola da vida)

Eu entrei bem pequeno sem saber, como todo mundo

Atrás dos seus muros, eu cresci e eu observei cada segundo

Eu lá entrei naturalmente, ninguém pediu minha opinião

Eu estudei seu funcionamento, isto se chama a escola da vida

É preciso saber que aqui tudo se aprende, as primeiras alegrias et as explosões de raiva

E nunca saimos verdadeiramente deste estabelecimento solar.

Na escola da vida, tem matérias obrigatórias

E certas aulas são opções para formar a tua história

A vida principia frequentemente com o professor da despreocupação

Ele é útil, ele te inspira e ele te dá confiança

Mas logo em seguida vem as aulas das responsabilidades

Você descobre as dores de cabeça e as primeiras provas fracassadas

As aulas de curiosidade é uma passagem importante

Compreendendo-a logo cedo, eu ganhei um tempo legal

Eu prometi que eu me inscreverei na aula de promessa

Mas as vezes eu fiquei muito na aula de fraqueza

Na escola da vida, tudo se aprende, tudo se ensina

Tudo se ouve, a gente treina, matérias às centenas

É a escola da vida, eu vaguei  (andei) nos seus corredores

Eu lidei nos seus buracos negros, eu tentarei  ver tudo

Na aula de situações difíceis, eu tive algumas boas notas

Este tipo de resultados, que te faz conhecer teus verdadeiros amigos

Isto  me deu pontos de vantagem e uma enorme formação

Para a aula de passos para trás e o de adaptação

Eu me lembro da aula de esperança, eu tinha facilidade

A menos que eu confunda com a aula de ingenuidade

Depois tinha uma fileira da mentira e uma fileira da verdade

Eu segui os dois cursos, cada um com sua utilidade

Na aula de solidão, eu tinha um bom potencial

Se satisfazer consigo mesmo é um trunfo essencial

Mas eu gosto também do ambiente que tinha na aula de bordel

Eu comprendi rápido que a existência se conjuga melhor no plural

É somente na aula de humanidade eu tive dois muito bons professores

Nós tivemos trabalhos práticos todos os dias, eu e minha irmã

Eu espero que pouco a pouco eu tenha guardado suas lições

E que na escola de uma outra vida, eu transmitirei ao meu modo

Na escola da vida, tudo se aprende, tudo se ensina

Tudo se ouve, a gente treina, matérias às centenas

É a escola da vida, eu vaguei (andei) nos seus corredores

Eu lidei nos seus buracos negros, eu tentarei  ver tudo

Na aula de história de amor, eu estive um longo tempo no funda da classe

O traseiro contra o aquecedor, eu acreditei encontrar meu lugar

Mas em pleno recreio, enquanto que eu não esperava nada

Eu recebi minha mais bela lição e o professor me colocou muito bem

Na aula de liberdade tinha muitos alunos em transe

Na aula de igualdade era pago, parabéns para a França

Para a fraternidade, não tinha nenhuma aula oficial

Só tinha as aulas da noite, longe das vias institucionais

Então a gente sangra, a gente cicatriza, a gente se informa, a gente realiza

As coisas boas e as besteiras, a gente suja, a gente partilha

Eu para compreender a existência um pouco mais rápido ou um pouco melhor

Eu escolhi a aula da infância na cidade, eu até mesmo escolhi a opção periferia

Sobra que a aula de felicidade, o professor estava frequentemente doente

A gente se virava sozinho, a gente decifrou  suas charadas

Autodidata em sentimentos, não haverá vontade sem pimenta

Nos meus cadernos de cimento, eu aprendo a vida rimando

Na escola da vida, tudo se aprende, tudo se ensina

Tudo se ouve, a gente treina, matérias às centenas

É a escola da vida, eu vaguei (andei) nos seus corredores

Eu lidei nos seus buracos negros, eu tentarei  ver tudo

Categorias

Posts recentes